Publicado em: Noticiário geral

10 - Outubro 2021 - Tempo de leitura: 5 minutos

Cover Image

Vereador ameaça Salão de Humor de Piracicaba

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba, o mais antigo do Brasil em atividade e um dos mais conhecidos no mundo, a depender de algumas autoridades daquela cidade pode não chegar até 2024 quando completará 50. Um dos seus mais ferrenhos adversários é o vereador Fabrício Polezi, integrante da base de apoio do governo Bolsonaro na cidade.

Aliás, o caricaturável presidente, inspirador e “muso” de charges e cartuns, é o motivo pelo qual a ira do político recai sobre aos artistas que se apresentam na 48ª edição do salão. O nobre vereador divulgou em suas redes sociais um mal-humorado arrazoado contra a crítica política que se manifesta através do traço.

“Repudio Total a 48ª edição de exposição do Salão internacional de Humor de Piracicaba. Essa edição foi usada pelos lacradores para militância esquerdista e o que é pior, com uso do dinheiro público. Estou usando de todas as ferramentas em meu alcance para que isso não fique sem punição. O tempo de aguardar calado, todos esses ataques contra o nosso Presidente Jair Messias Bolsonaro, acabou.”

Mas o político não se limitou apenas ao protesto, não satisfeito, fez aprovar na Câmara, em 7 de outubro, o requerimento 915/2021 que pede informações ao Executivo sobre o conteúdo das obras expostas. Segundo informações do Jornal de Piracicaba o vereador se baseou na Lei de Segurança Nacional para embasar o seu pedido.

Fabrício Polezi parece desconhecer totalmente a história do Salão de Humor de Piracicaba; criado em 1974 durante o governo do ditador Ernesto Geisel quando a censura oficial ainda estava instituída no país, cresceu com a cumplicidade declarada dos integrantes do Pasquim – um dos mais importantes jornais da chamada imprensa alternativa que se opunha ao autoritarismo do Estado, tornou-se internacional, serviu de modelo para dezenas de outros salões pelo Brasil afora e consolidou o trabalho da geração de 1980 que, usando a crítica dos costumes e comportamental como matéria-prima do humor, ajudou na conquista da democracia via Diretas Já e a Constituinte de 1988.

A declaração do vereador piracicabano seria apenas a confissão de uma certa estreiteza intelectual (também poderia servir de inspiração para algum cartunista) mas, dado o momento político de retrocesso de direitos, de conquistas sociais e de ataque à democracia, suas palavras se tornam perigosas. O problema é que ele não está sozinho nesta empreitada.

Segundo denúncias de artistas piracicabanos há um movimento obscurantista em curso na cidade que é capitaneado pela própria prefeitura administrada por Luciano Almeida, do Democratas; em outubro de 2021 foram encerradas as atividades do Observatório Astronômico de Piracicaba Elias Salum; a administração pretende desalojar a Pinacoteca Miguel Dutra de sua sede para que a Polícia Federal ocupe o imóvel e a Biblioteca Municipal, que funciona em um prédio próprio, também seria transferida.

Quem é Fabrício Polezi

Torneiro mecânico nascido em Piracicaba, foi uma das lideranças que participaram dos atos em protesto contra a presidenta Dilma Roussef que resultou no golpe do impeachment e serviu de ponta de lança para a direita bolsonarista conquistar o poder. Ingressou no Movimento Direita Piracicaba, filiou-se inicialmente ao PSL, mudou de partido e foi eleito vereador pelo Patriota.

Reação da sociedade

Em “repúdio ao repúdio”, a Associação dos Amigos do Salão Internacional de Humor de Piracicaba emitiu nota onde se posiciona a favor da liberdade de imprensa

Nota de repúdio ao repúdio... E assim seguiremos, a favor da liberdade de expressão!

Embora muitos não saibam, Piracicaba é conhecida como Capital Mundial do Humor graças, justamente, ao Salão Internacional de Humor, evento realizado pela Prefeitura da cidade há 50 anos ininterruptos, independente da gestão. É o maior salão de humor em atividade NO MUNDO. 

O evento surgiu durante os anos 70, ainda durante a ditadura militar, quando os artistas que se expressavam contra o governo eram perseguidos. Corajosamente, a Prefeitura de Piracicaba se posicionou, garantindo liberdade de expressão para os humoristas gráficos. Essa postura foi reafirmada a cada gestão, ao longo de décadas.

Essa liberdade de expressão é praticada a cada novo ano, quando a Prefeitura define os artistas que serão responsáveis pela seleção e premiação das obras. Eles se reúnem e decidem quais obras serão as vencedoras de cada edição, com total liberdade sobre suas escolhas. Para se ter uma ideia, a última edição contou com um júri de 13 artistas, todos capacitados para o desafio.

Historicamente, essa mesma liberdade é incentivada e reconhecida por diversos parceiros do salão: artistas, empresas e entidades públicas e privadas que apoiam prêmios e atividades culturais diversas dentro do grande evento que se tornou o Salão Internacional de Humor de Piracicaba.

Finalizamos esclarecendo que HUMOR não se refere apenas àquilo que é engraçado e sim algo feito para provocar reações no público. Existe o humor que faz você sorrir com alegria e o humor que faz você sorrir dos perrengues da vida. E existe o humor que contesta, que revolta e desafia. O humor que abre espaço para a liberdade de expressão. O humor que você, talvez, ache um acinte. Mas, se você tem a liberdade de poder reclamar e expressar seu repúdio publicamente, é porque a luta do humor gráfico teve, e tem, seu valor.