Plataformas digitais censuram cartunistas

Autor:
Redação

Seção:
Noticiário geral

Publicado em:
11 de Fevereiro de 2022

Tempo de leitura:
5 minutos

Plataformas digitais censuram cartunistas

Por: Redação

Vários cartunistas estão protestando contra as plataformas digitais que passaram a retirar os trabalhos publicados em suas páginas pessoais sob o pretexto de violarem as diretrizes da rede social. Os artistas alegam que os critérios usados pelas empresas não são claros, não existem canais diretos para que o autor possa se defender, o burocrata de plantão (ou o algoritimo) é incapaz de entender a ironia da charge e que confundem crítica - feita através do humor gráfico - com apologia ao fato em si. Portanto, afirmam, trata-se de uma forma de censura. A revista Pirralha reuniu uma série destas obras "proibidas" e as apresenta seguida de um breve comentário de seus autores.

Certamente outros casos ocorreram, se você foi vítima deste desmando escreva pra gente: contato@revistapirralha.com.br.

Alex Ponciano

Minha charge sobre o discurso do Bolsolixo na cúpula dos líderes sobre o clima em 2021 foi censurada com um argumento bastante vago: "Removemos sua publicação porque ela vai contra nossas diretrizes da comunidade. Nossas diretrizes são baseadas em nossa comunidade global, e alguns públicos podem ser sensíveis a diferentes tipos de conteúdo".

1000ton

Em meados de 2019 o Facebook, sumariamente, encerrou a minha conta. Não houve nenhuma advertência. Claro que tomei um susto, fiquei indignado. Mandei um e-mail perguntando qual foi o motivo e a resposta foi lacônica... (descumprimento das regras estabelecidas). Também não tive direito de defesa. Não sei se alguém me denunciou ou foi iniciativa do próprio Facebook. Não me deram nenhuma pista. Mas eu tô voltando. E ainda mais enfezado agora. Perdi quase 1700 parceiros que eu tinha aqui. Devagarinho eu vou voltar a falar, de novo, com eles. Uma certeza eu tenho: Incomodei! E muito! Minhas charges contra a opressão, contra o besta-fera bozo e o ódio que as elites têm contra o povão, mexeram com muita gente! E estou de volta pra incomodar mais ainda! A minha luta vai continuar! Sempre! Você vem comigo?

Miguel Paiva

Está charge foi removida do Instagram no dia 9 de fevereiro.

Aroeira

Esse fêisse búqui é a maior sacanagem para um artista: utiliza nosso trabalho para rechear de conteúdo jornalístico as suas páginas sem pagar nada (exploração de mão de obra criativa!!), às vezes tenta fazer com que paguemos para eles para divulgarem  mais o nosso trabalho e ainda por cima tem o topete de CENSURAR!!!!  Haja arrogância do gringo proprietário! (Esta charge foi republicada  no perfil do cartunista Santiago e também foi retirada sob a alegação de exaltação ao suicídio).

Zapa Ferrer

Tomei um gancho meio bravo no FaceBook, por causa de uma charge que foi considerada fora “dos padrões da comunidade”. Como ela era contra os nazistas, das duas uma. Quem denunciou é a favor do nazismo ou é muito burro e não conseguiu entender a piada. Isso se aplica ao burocrata do FaceBook também. A charge é essa aí.

André Barroso

Minha charge censurada, foi na época dos cheques para a primeira dama. Fazia charges para o portal Solidário Notícias, da qual fui um dos fundadores. Era um portal de conhecidos jornalistas que estavam fora do mercado de trabalho que foi fundado uma Cooperativa de Jornalistas. Na época do ocorrido, a chapa vitoriosa estava comandando a nova gestão. Fui censurado da minha charge, onde nunca tinha acontecido no portal. O grupo novo se comportou pró Bolsonaro e colocou vergonhosamente matérias anti vacinas. Se tornou um portal mal visto pela categoria e eu imediatamente a censura, sai do cargo de chargista. Não compactuo com fascismo.