A morte da tira Vereda Tropical

Autor:
Redação

Seção:
Quadrinhos

Publicado em:
25 de Agosto de 2021

Tempo de leitura:
4 minutos

A morte da tira Vereda Tropical

Por: Redação

Ernani Diniz Lucas, conhecido no mundo do desenho como Nani, nasceu em 27 de fevereiro de 1951 em Esmeraldas (MG), se enveredou pelos jornais na década de 1970 e chegou ao Pasquim onde fez história ao lado de Jaguar e companhia. Em sua longa carreira criou a tira Vereda Tropical, que foi uma das mais longevas da nossa imprensa, nada menos que 48 anos nas páginas dos mais diversos jornais.

Mas, infelizmente a heroica saga dos indígenas brasileiros e dos conquistadores europeus deixou de circular no início deste ano. No texto abaixo, que circulou nas redes sociais dos colegas (e chegou até a Revista Pirralha), ele esclarece o motivo.

Depoimento do autor

A tira Vereda Tropical começou sua trajetória no O Jornal, em 1973, a pedido do editor do segundo caderno Reinaldo Jardim. Hoje (só pra ser dramático) eu enterro o bandeirante Fernandias, Turuna e Veizim na redação do jornal Estado de Minas. A tira no O Jornal, era um quadrado e recebeu, inicialmente, o nome de Fernandias. No Jornal do Brasil ela estreou com o nome de Vereda Tropical em um Dia do Índio e foi anunciada num programa da TVE onde Ziraldo era o apresentador, o MPB 4 estava lá também. Não sei em que época, passou a ser distribuída pela Funarte, comandada por Ricky. Meu quadrinho era publicado em 17 jornais no Brasil a fora. O jornal O Dia do Rio de Janeiro manteve a tira numa página inteira dedicada aos quadrinhos durante 23 anos, outros jornais também publicaram a Vereda por muito tempo.

Atualmente o veículo Estado de Minas é o último dos Moicanos a publicar minha tira. Por insistência do amigo e grande chargista , Son Salvador, fiquei mantendo o desenho nas páginas do jornal mineiro durante 22 anos, mesmo com atraso de pagamento. O Son lutava com a direção e pedia para que acertassem comigo, mas... era o Estado de Minas sendo o Estado de Minas. Seis anos sem receber. Anotem aí. O jornal Estado de Minas não pagou ao Nani durante seis anos.

Estamos em março de 2021 e, fato inédito, um artista envia uma carta formal pedindo ao jornal para parar de publicar a sua tira. Agora e para sempre. Antes, fiz uma proposta visando um acordo, mas a diretoria do jornal nem me respondeu. Jornal Estado de Minas, você também está na minha gaveta de calotes. Assim, estou saindo por vontade própria do jornal Estado de Minas. O fim da tira não será noticiado pelo Bonner dizendo: “O Brasil está menos engraçado....”, nem terá um manifesto do Caetano Veloso falando da importância da Vereda na cultura e no tropicalismo. Tudo bem, eu entendo.

O dia 31 de março de 2021 é o fim da Vereda Tropical. Acho que não vou desenhar mais os índios e o bandeirante, coisa que já não fazia há anos. Daqui pra frente sobre a minha tira não estará escrito “VEREDA TROPICAL”. Mas foi uma longa temporada publicando para o público mineiro e por isso agradeço a alguns editores e editoras do segundo caderno do jornal. Espero que meu humor deixe saudades para uns, talvez alguns leitores (ou todos) sintam alívio com a minha saída do jornal, vai se saber. Mas agradeço quem curtiu a Vereda Tropical onde tentei fazer o meu melhor.

Estou publicando no Face Instagran e no Story: cartuns, charges e quadrinhos. Me vejam lá. Abraços a todos.

Nani - cartunista

-------------------------

Blog do Nani - http://www.nanihumor.com/