Uma punk-homenagem para Angeli

Autor:
Redação

Seção:
Desenhistas

Publicado em:
21 de Abril de 2022

Tempo de leitura:
5 minutos

Uma punk-homenagem para Angeli

Por: Redação

Por sugestão do chargista Brum um grupo de desenhistas resolveu fazer uma homenagem ao Angeli por ocasião de sua aposentadoria forçada por motivo de saúde. Cada artista faz uma arte em homenagem ao Angeli e a publica com a hashtag  #obrigadoangeli, depois tudo é reunido e colocado em uma pagina especial. Imediatamente a proposta começou a circular entre os colegas de traço e os trabalhos podem ser vistos em www.instagram.com/obrigadoangeli.

Angeli era um dos "nossos meninos', a turminha da Casa Verde, que apareciam sempre no estúdio do Zélio pra conversar, escutar dicas, ver o Zélio trabalhar. Brilhantes, inquietos, uns queridos... gênios...

Depoimento de Cissa Pinto exclusivo para a Revista Pirralha

Angeli anunciou no dia 20 de abril que encerrará suas atividades como cartunista depois de mais de cinquenta anos de carreira em razão dos problemas de saúde causados por uma doença degenerativa, Ele recebeu o diagnóstico de afasia, um distúrbio neurológico que compromete a comunicação do paciente de forma verbal ou escrita.. o próprio artista publicou nas redes sociais; "É com tristeza e coragem que a família e os amigos de Angeli comunicam o fim, por questões de saúde, da histórica colaboração entre o autor e a Folha de S. Paulo. Após cinquenta e um anos de carreira, quase cinquenta deles no jornal, é num misto de emoção e tristeza e também orgulho que ele se despede desse espaço que foi, ao longo de décadas, uma janela para que os leitores pudessem observar o talento indescritível de um dos maiores artistas que o Brasil tem. Agora que esta nova etapa se inicia, deixamos aqui um agradecimento especial aos leitores que foram os grandes parceiros de Angeli durante essas cinco décadas. Com eles, seguiremos celebrando a obra de Angeli em novas publicações e exposições. Punk is not dead!".

Arnaldo Angeli Filho nasceu em 31 de Agosto de 1956, na cidade de São Paulo, e aos 14 anos publicou seu primeiro desenho na extinta revista Senhor. Em 1973, foi convidado a desenhar para o jornal Folha de S.Paulo, no qual criou a tira diária “Chiclete com Banana”, publicada na seção de quadrinhos, lançando personagens como Rê Bordosa, Bob Cuspe, Wood & Stock e os Skrotinhos, entre outros. Em 1985, “Chiclete com Banana" transformou-se em um revista de quadrinhos independente de mesmo nome. Angeli teve trabalhos publicados pelas revistas Linus, de Milão; El Vibora, de Barcelona; Humor, de Buenos Aires, e no jornal Diário de Notícias, de Lisboa.

Eu me lembro de ter visto o Angeli pela primeira vez quando ele foi um dos dez premiados no Salão de Piracicaba. Eu estava na sala em que ele apareceu para passar os dados pessoais para a secretária, por causa do prêmio. Dum jeito maroto ele ia respondendo as perguntas.. Descobri ali que ele tinha a mesma idade que eu (hoje 65, na época tínhamos 19 ou 20). Perguntaram a escolaridade dele. 3ª. série!, ele falou com certo orgulho - ou deboche. Esse gênio nem tinha completado o ginásio, mas se tornou um agudo cronista de tipos da nossa geração.  Passaram-se mais de dez anos sem nos cruzarmos, até que nos arranjos do Fortuna para tentar ressuscitar o Bicho, lá por 1993, encontrei o Angeli por acaso na rua Teodoro Sampaio. Eu disse: é a Crau do Bicho, não lembra? Ele ficou olhando para mim uns segundos.... então sua fisionomia como que se iluminou e ele falou que viajou num caleidoscópio e encontrou minha cara antiga (de novinha) no meio da minha cara nova (de mãe vivida, já de 3 ou 4 filhos). Anos antes tinha estado com ele, a esposa e o Laerte na colônia de ferias dos metalúrgicos na Praia Grande.. Fomos no mesmo carro. Perguntei como andava ele e a política; ele fez uma cara de enfado e disse que tava longe disso!

Depoimento de Crau exclusivo para a Revista Pirralha

O desenho de Brum que inaugurou o projeto

VEJA A HOMENAGEM NO INSTAGRAM

-----------------------------------

Imagem de abertura: auto retrato do artista