Ykenga avisa que tem cartunista no samba

Autor:
Redação

Seção:
Quadrinhos

Publicado em:
2 de Novembro de 2021

Tempo de leitura:
4 minutos

Ykenga avisa que tem cartunista no samba

Por: Redação

O samba é o gênero musical tipicamente brasileiro, patrimônio cultural do País, o samba já existe há mais de 100 anos e foi desenvolvido por negros e negras que vieram escravizados da África para o Novo Mundo. Para contar a origem, o desenvolvimento, os personagens e a importância do samba o pesquisador Haroldo Costa e o cartunista Ykenga se uniram e criaram o Gibi A história do samba em quadrinhos, volume 1 (o volume 2 já está sendo planejado). A obra, voltada para os jovens, está disponível em versão digital e, em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, será lançada a edição impressa na Biblioteca Darcy Ribeiro, no Rio de Janeiro.

O roteiro do gibi é baseado em uma pesquisa de Haroldo Costa, escritor, ator, diretor, multi artista que começou a carreira no teatro nos anos de 1950 e trabalhou na montagem histórica da peça Orfeu da Conceição, de Vinícius de Moraes  com música de Tom Jobim. O próprio Haroldo Costa convidou o cartunista para ilustrar o projeto ainda em seu início, mas, diz o artista, levou quatro anos após para Haroldo Costa lhe passar o trabalho a ser ilustrado.

Realizado com auxílio da Lei Aldir Blanc, o projeto foi idealizado pelo produtor cultural Robson Lo Bianco, mangueirense de carteirinha, que percebeu, observando seu filho de oito anos, que o samba estava distante das gerações mais novas acostumadas a ouvir outros ritmos. Ele e a sua mulher, Janaína - também produtora cultural -, notando que não havia obra sobre o samba voltada ao público infantil e juvenil decidiram elaborar um projeto específico para suprir a lacuna.

"Este é um projeto de extrema importância, principalmente na formação de novos públicos, as crianças e os jovens são o futuro do samba e precisam conhecer a origem desse gênero musical que melhor nos representa mundo afora."

Ykenga

Um sambista do traço

Ykenga tem uma relação bastante sui generis com o samba. Nascido em uma família musical, suas irmãs cantam em coral, um de seus tios foi trompetista e seu avô materno - acordeonista de mão cheia - reunia familiares e amigos em casa no Rio de Janeiro para verdadeiros saraus com muita música e dança, sempre em volta de uma mesa repleta de boa comida e fartas doses de cachaça. Mas seu neto nunca aprendeu a tocar um instrumento. E como se não bastasse, Ykenga também não desfila em nenhuma Escola de Samba, e sequer vai ao Sambódromo.

Mas isto nunca o impediu de frequentar salões de dança, batuques nos terreiros e, quando adolescente na década de 70, descobrir a soul music. Após ingressar no Movimento Negro Unido reaproxima-se do samba e de uma ala de sambistas ligadas aos movimentos sociais e progressistas, como Candeia, Nei Lopes, Martinho da Vila e o próprio Haroldo Costa. Bem humorado, Ykenga se diz "parceiro" de Martinho da Vila, não em uma das composição do músico, mas sim como ilustrador de vários de seus livros.

Como cartunista Ykenga iniciou a carreira na década de 1970 no jornal alternativo Favelão, impresso que circulava nas comunidades cariocas. Já formado em sociologia, trabalhou no Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE) , do Betinho, que o apresentou ao seu irmão Henfil, que por sua vez o levou ao Pasquim.

Em relação ao gibi, Ykenga diz que o texto apresentado por Haroldo Costa era muito profundo e complexo para ser transposto diretamente para a linguagem dos quadrinhos, então,precisou ser adaptado. Para esta tarefa o desenhista contou com a "assessoria" de sua neta, Lara, que acabou virando personagem da história. "Acho que funcionou - diz - pois o trabalho está sendo elogiado e as crianças estão gostando".

....................................

SERVIÇO

A história do samba em quadrinhos - 60 páginas

Pesquisa e texto de Haroldo Costa, ilustração e roteiro Ykenga